Scroll Top

Vestibular

Entrevista com Calouro Medicina USP 2014 – Como Estudava, Dicas e mais

O curso de Medicina é um dos mais concorridos em todas as Universidades do país, algumas das relações candidato vaga de 2014 foram de 216,4 c/v na Unesp; 62,91 c/v na Usp Ribeirão; 145.4 c/v Unicamp. Desses números é fácil perceber o quanto os vestibulandos que querem passar em Medicina precisam se dedicar e estudar, além de ter um forte controle psicológico… 

Hoje vamos conversar com um dos jovens que conseguiu passar por essa fase intensa de Vestibulares, superou suas dificuldades e agora é meu Calouro na Medicina Usp 2014! Confira a Entrevista com Daniel Felipe aqui no Blog ABC da Medicina, deixem suas dúvidas e comentários…

medicina-usp

Entrevista com Daniel, aluno da turma 102 da FMUSP

Daniel, conte-nos um pouco sobre você…

"Moro em São Paulo, capital, no bairro de Vila Brasilândia/Freguesia do Ó (ZN), um lugar relativamente esquecido por todos. Gosto muito de música, tanto ouvir quanto executar (toco flauta transversal) e conheci a natação ano passado e gostei muito, acho que muito provavelmente vou treinar isso na AAAOC (Atlética). Além disso, adoro dormir (mas com a faculdade essa vida não me pertence mais! kkk)"

Muitos estudantes têm dificuldade em decidir qual curso prestar, em saber para qual profissão têm aptidão e vocação. Quando você decidiu que iria prestar Vestibular de Medicina? Já ficou em dúvida entre outros cursos?

"Decidi que queria Medicina por volta da 7ª ou 8ª série do Ensino fundamental. Eu me interessei pela área de Biológicas por causa da disciplina de Ciências da escola, e cheguei a pensar em fazer Biologia. Depois de pesquisar um pouco, acabei conhecendo a medicina e me encontrei, porque era um jeito direto e tangível de ajudar as pessoas, além de não ser uma área que "cai na rotina", ou seja, nunca um dia de trabalho será igual a outro. Sempre haverá situações que tornarão cada dia único."

E como foi a sua trajetória após ter escolhido Medicina?

"Toda minha vida escolar foi na Escola Pública. Por causa disso, meu primeiro ano de cursinho (no Objetivo Pompeia – tarde) foi um enorme impacto: ao invés de rever conceitos, eu vi conceitos pela primeira vez. Me surpreendi ao ficar na lista de espera da Paulista (UNIFESP). Meu segundo ano de cursinho (Etapa Ana Rosa) foi "normal": eu revi os conceitos de aprendi no objetivo. Bem, esses dois anos me levaram até onde estou!"

Sobre o cursinho, sem dúvidas foi uma fase difícil, como que você estudava? Tinha algum planejamento ou rotina estabelecida?

"Sem palavras bonitas, a época de cursinho foi uma tortura; No quarto mês de aula eu não aguentava mais ouvir a voz de alguns professores e estudar era uma penitência. (Se alguém que está no primeiro ano de cursinho estiver lendo isso, desculpe, de verdade, por destruir suas ilusões, mas é verdade).

Ano passado, minha rotina de estudo era aula de manhã e exercícios à tarde, geralmente os de Exatas. Mas, como sempre acontece, a matéria atrasa e acumula (nunca terminei e nunca terminarei o caderno 1, esse é o que nunca acaba). E com matéria atrasada só dá pra fazer uma coisa: definir prioridades! (Não faça muitos exercícios de Binômio de Newton,sério)."

Quais eram suas técnicas para superar a Dificuldade em algumas matérias? Quando você não conseguia resolver uma questão durante o estudo ou não entendia um assunto o que fazia?

"Com as dificuldades na matéria e questões mais complicadas eu usava as resoluções online que o Etapa disponibilizava ou, no caso de Humanas, usava a internet mesmo. Me arrependo um pouco de não aproveitar os Plantões de Dúvidas nos cursinhos…"

Você treinou muito Redação? Qual sua experiência de provas e vestibulares no campo da Produção de Textos?

"Não vou mentir: eu odeio Redação. Mas mesmo odiando, eu fiz algumas redações e pedi para o professor do Etapa dar uma olhada. Ajudou muito!! No objetivo, eles tinham um esquema de enviar as redações para um corretor (às vezes cruel), o que ajudou bastante no começo. Minhas Redações nos vestibulares receberam notas entre o bom o pouco mais que bom, ou seja: o suficiente para ficar na briga pela vaga. Com relação ao nervosismo na hora de escrever a redação da prova, eu até que fiquei tranquilo, por mais incrível que pareça…"

 

entrevista

Foto de Daniel pelos corredores da FMUSP na Gincana do CAOC da Semana de Recepção (Daniel: "corri muito!")

Além da Usp, você passou em mais algum vestibular? Você acha que teve algum diferencial que te fez passar?

"Além da Pinheiros, passei também na Unicamp e na Unesp . Eu realmente não sei o que foi meu diferencial para passar (Eu brinco que a Fuvest errou minha nota e eu fui parar lá na USP!)… Acho que pode ter sido a calma que tive durante as provas, porque muita gente entra em parafuso na época das provas, e isso não aconteceu comigo."

Quais são suas Dicas de Estudo e Preparação para os Vestibulandos de 2015?

"Estude, mas descanse. Não leve seu corpo à exaustão; Vestibular é uma maratona, não uma prova de 100m rasos. Você NÃO vai conseguir fazer TODOS os exercícios, e é aí que entram os professores: eles sabem os temas mais frequentes e indicam os exercícios mais comuns. Faça os simulados! Eles te ensinam a controlar a tensão, o tempo de prova e o corpo (sim, ficar 4h numa cadeira nada confortável ajuda o corpo a se acostumar!).

Se você está no 2º/3º/… ano de cursinho, esse começo de ano é uma tortura: assistir de novo uma aula sobe MMC, sobre Grécia Antiga, ou sobre 1ª Lei de Newton é uma coisa que me fez querer desistir. NÃO DESISTA!!!!! O desânimo é comum, e dá uma agonia. Eu quase desisti ano passado, eu sei como é essa sensação de achar que não vai dar. Sério, chuta esse sentimento ladeira abaixo e vida que segue. NÃO DESISTA."

E o que está achando do curso até agora? O que espera da Medicina como Profissão, já pensou em uma especialidade?

"Esse começo de curso está sendo bem legal e bem cansativo. Os veteranos são muito receptivos e ajudam os calouros pra caramba, que já são perdidos por natureza! Na Atlética eu tive a chance de conhecer alguns veteranos dos outros anos, que também são muito receptivos e têm muita paciência em explicar tudo para os Calouros Perdidos…

Já destruí algumas ilusões que eu tinha (do estilo: passei em Med, me dá um bisturi!!!), mas amo o curso, a Faculdade, a estrutura da faculdade  – Extensões + CAOC (Centro Acadêmico) + DC (Departamento Cinetífico) + AAAOC (Atlética)!!! e tudo naquele lugar! (Obrigado Arnaldo pela FM!) Eu espero que, no decorrer do curso, eu consiga absorver tudo possível para ser o melhor médico, não somente no sentido científico, mas no sentido humano. Espero que com a prática da Medicina eu realize o que falei antes: ajudar as pessoas de um jeito objetivo e tangível. Ainda não tenho nenhuma especialidade definida, mas tô de olho na área Cirúrgica, mas vou procurar as Ligas para decidir a área que mais me interessa…"

entrevista2

Foto do agasalho da AAAOC (Atlética) e algumas camisetas que Daniel comprou na matrícula!

Assuntos do Artigo
  • entrevista com estudante de medicina
  • entrevista com aprovados na usp
  • Qual o nome da aluna que estudava Medicina na USP

Comente Via FaceBook

Comentários

1 Estrelinha =(2 Estrelinhas3 Estrelinhas4 Estrelinhas5 Estrelinhas =) (4 Votos, Média: 5,00 out of 5)
Loading...

Artigos Relacionados à Entrevista com Calouro Medicina USP 2014 – Como Estudava, Dicas e mais!

Sobre o autor | Website

Sou estudante do 4º ano de Medicina na Faculdade de Medicina da USP, blogueira desde 2012 quando fazia Cursinho pré-vestibular. Há poucos meses comecei o Vlog Mediários no You tube.

7 Comentários

  1. Barbara Monique disse:

    Legal =)

    … Cade seus posts novos??

    *-*

     

  2. Elton Gomes disse:

    OLAS ,, Boa noite.. Em primeiro lugar parabéns pelo blog, olha que igual a esse, com foco principal em ajudar quem esta na busca do grande ideal, A Medicina, não vi. Parabéns mesmo e Deus que dobre tudo em sua vida pelos feitos aqui.

    Bom , minha questão e a seguinte, sabemos que antes de prestar o Vestibular ou Enem o que mais pesa (assusta) no conjunto é de fato a concorrência. Principalmente. Aqui na região sudeste e sul ainda mais concorrido. Claro que nas outras regiões também há. Mas pesquisando bastante aqui e me deparo sempre com UFAC. Vagas que não são preenchidas, vaaaarias chamadas de listas e por ai vai. O que acontece com um curso de Medicina de uma federal que "sobra" vagas, mas que já chega a mais de 100 por vagas na concorrência (fonte site oficial e g1) e tem nota boa no enade? Nota essa comparada com algumas aqui da região sudeste. E sempre que busco lista de melhores ela nao aparece em nenhuma nem em listas de mais de 50 por ordem de estrelas, não aparece. O que me diz? Seria a estrutura? Laboratórios? Ou ensino mais inferior? Pensei seriamente em concorrer mas a duvidas. O que você acha? Obrigado pela atenção

  3. Elton Gomes disse:

    Desculpe, empolguei e publiquei aqui nos comentários da entrevista com o calouro. Mesmo assim parabéns a você pela a iniciativa, e sucesso a ele na nova fase.

    • Bianca disse:

      Olá Elton,

      muito obrigada pelos elogios! =)

      Quanto a sua dúvida, o que eu posso dizer é que: não conheço muito a UFAC (Federal do Acre) para dizer que é uma instituição boa ou ruim.

      Sei que é federal, e agora com o Enem, muitas pessoas de vários locais do país podem colocar interesse lá pelo SISU, dái a elevada concorrência que você questionou. Acredito que poucos vão estudar lá, primeiro pela questão da localização, é num Estado afastado, ainda com baixo desenvolvimento das cidades e infraestrutura… e como a maioria que declara interesse é de longe, por exemplo de São Paulo, querendo fugir das altas concorrencias, acabam que na ultima hora preferem estudar mais perto – pensam em gastos, distância da família…

      Os alunos que são do Acre e prestam vestibular na UFAC com certeza devem estudar por lá… O que deve pesar bastante para esses que desistem é que a instituição é num lugar de pouca infraestrutura no geral, interior do Brasil, não é um polo de tecnologia como São Paulo… 

      Se você pensa em estudar lá, minha dica é: analisar bem a grade curricular (ver as materias que terá, comparar com a de outras Universidades para ver se há muita diferença); veja as classificações em Enade e outros exames que avaliem a qualidade do ensino; veja se a faculdade de Medicina de lá tem Hospital Universitário e Hospital das Clínicas, como que é a infraestrutura da faculdade – laboratórios de anatomia, microbiologia etc…

      Se você tiver muitas dúvidas quanto a qualidade do ensino lá, minha dica é que você pesquise mais e busque outras opções de universidades públicas com melhor avaliação…Vale a pena, as vezes, fazer mais um ano de cursinho e conseguir passar numa faculdade melhor do que arriscar sua formação…

      Qualquer dúvida entre em contato comigo, tenho prazer em ajudar 😉

  4. Lana disse:

    Oi! Tudo bem? : )))
    Queria te perguntar sobre as oportunidades que a fmusp oferece. Há muita atividade extracurricular? Como são os dois primeiros anos? Vocês tem quanto tempo para aprender os ossos? (eu tive aqui uns 6 dias ><) Há alguma aula interessante, que faça você ter vontade de ir pra faculdade? hahaha Vocês tem tempo para fazer outra coisa que não decorar nomes e mais nomes? hahaha Tem algo relacionado à pesquisa científica ou aulas de ética? É ensinado como pensar mais clinicamente desde o início?
    As "peças" que vocês usam para aprender anatomia são muito velhas e destruídas?
    Você acha que se sentir realizada, por estar na faculdade que sempre desejou estar, faz diferença? haha
    Acha que com 21 anos é tarde demais para começar a fazer medicina?
    hahaha Deixa eu perguntar: você trocaria se formar com 23 anos na unicamp por voltar a fazer vestibular para tentar até passar na Pinheiros (chuto que por volta dos 21 eu conseguiria haha)?
    (eu sou a mesma pessoa que perguntou se devia vir pra Unicamp, e aqui estou, começando a me arrepender de ter vindo e começando a ficar muito, muito cansada – fisica e psicologicamente – dessa rotina hahaha)

    : )))

    • Bianca disse:

      Oi Allana, tudo bem? Desculpa a demora em te responder… 

      Bom, a FMUSP tem muuitas atividades extracurriculares: ligas, iniciações cientificas, extensões (Bandeira, EMA, Med Junior, Med Dança)… Os dois primeiros anos são de ciclo basico, temos mais aulas na cidade universitária sobre anatomia, fisiologia, microbio, imuno, histologia essas coisas.. E no final do segundo e terceiro ano temos as propedeuticas e inicio da parte clinica (quando começa a ficar legal e termos mais animo haha). No 4o ano temos Bioetica, de pesquisa não tem aula na grade, mas em optativas extras deve ter… Já temos muuuitas aulas que tem que decorar nomes e vias (Bioquimica e Farmacologia, por exemplo), mas acho que disso não dá para fugir quando se faz Medicina.

      Tem peças de anatomia bem acabada, mas tem umas boas também… no geral, achei o curso de anatomia bom, fazemos dissecções de varios sistemas e no terceiro ano tem pratica de tecnica cirurgica.

       

      São muitas perguntas, eu vou tentar responder todas haha: Eu acho que amar o lugar que você está faz diferença sim, mas adianto que a USP não é perfeita e em comparação com a UNICAMP não deve perder muito… A diferença é mais nas extensões e referência do hospital que é o nosso suporte (Complexo HC), mas de qualidade de ensino, infraestrutura e pesquisa creio que ambas sejam otimas. 

      Quando a idade, não vejo problemas…. tem gente que começa com 30 anos a faculdade, se for seu objetivo na vida, corra atrás. Na minha sala tem um aluno que estava no terceiro ano de Medicina em Botucatu (Unesp) e fez vestibular e passou na USP, ele deveria estar como vocêÇ querendo demais estudar  aqui… Pondere suas escolhas, tudo tem os prós e contras… E caso fique na Unicamp até concluir, tem a opção de prestar residencia aqui =)

      (Simm, lembro-me de voce! Se quiser conversar melhor comigo, tem o meu facebook e do blog, me procura lá =) )

      Abraços

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: