Diário de um Estudante de Medicina

Início do Meu Internato de Medicina – Resumo do Estágio de Cirurgia Geral

Olá, amigos! Hoje eu vou contar para vocês como foi meu início de Internato, em especial, sobre meu primeiro estágio que foi em Cirurgia Geral. Esse estágio começou em Janeiro e foi até primeira semana de fevereiro, foi uma experiência super intensa e nova para mim…  além disso sempre tive um interesse particular por essa área, gosto bastante de cirurgia, das doenças e emergências que os profissionais da área atendem, então foi um estágio ótimo para conviver mais com a especialidade, saber como é a rotina e as subáreas de atuação!! 

Eu já comentei anteriormente aqui que nesse momento do curso temos um enfoque muito prático em cada área, por isso nossa carga horária é bem maior, temos contato com pacientes sempre, aprendemos procedimentos/terapêuticas e temos poucas aulas teóricas!! Vou explicar um pouco de como foi tudo para vocês, aproveitem para mandar dúvidas que tiverem por aqui 🙂

 

Como são as Atividades Práticas?

O estágio era composto por quatro partes básicas, nas quais pequenos grupos de 3 a 4 alunos faziam rodízio: 2 semanas na Enfermaria do PS; 1 semana na Parede Abdominal; 1 semana em Cirurgia Oncológica; e além disso tínhamos os Plantões noturnos no Pronto socorro da cirurgia/Trauma.

Além dessas atividades específicas do estágio em si que estávamoos passando, tivemos aulas extras de Radiologia, Técnica Cirúrgica e Medicina Legal –  que ocorriam no meio das outras atividades ou em horários bem próximos. Muitas vezes essas atividades faziam com que gente atrasasse as atividades na enfermaria, e o resultado era que tínhamos que voltar ao final do dia no hospital e sairmos bem tarde de lá haha

Nossas funções eram, basicamente, ser responsáveis por conversar com um determinado número de pacientes internados (variava de 1 paciente, nas enfermarias de Parede Abdominal e Onco, a 4 pacientes na enfermaria do PS), examina-los, ver seus exames de laboratório e de imagem, checar controles virais. Com isso, devíamos estudar o caso deles, porque depois éramos nós que passávamos o que estava acontecendo com cada paciente para os médicos residentes e assistentes – nas famosas Visitas. Nesses momentos de Visita, os médicos, além de discutir a doença e quais condutas deveriam ser tomadas para cada paciente, nos explicavam muitos conceitos e revisavam matérias relacionadas ao caso. 

Principais Aprendizados

Logo nas primeiras semanas eu aprendi a usar o sistema de prontuário eletrônico do HC, meio chatinho, e fiquei bem perdida no início haha – isso era outro fator que me fazia chegar bem cedo no hospital e demorar demais para ir embora! Na Cirurgia Geral, as visitas com os preceptores e médicos assistentes podiam ser bem cedo em dias cirúrgicos, como 6h30 para conseguir chegar as 7h no centro cirúrgico… então, tinhamos que deixar tudo meio pronto até esse horário, resultado: madrugava no hospital. 

Mas dessa correria de horário e também do alto fluxo de pacientes que passavam pelo PS, pude pegar maior agilidade em conversar/examinar/ anotar detalhes de evolução, controles e mesmo fazer os prontuários no sistema. Isso está sendo útil nos estágio seguintes =)

Eu e meu companheiro de tudo <3 [/caption]Eu e meu companheiro de tudo <3 [/caption]

 

Também aprendi bastante sobre doenças que necessitam de atendimento emergencial, o que será muito útil em plantões em pronto-socorros mais para frente. Outros temas ensinados foram cânceres do aparelho digestivo e também de partes moles (musculo e pele), inflamações agudas e crônicas de Vias biliares e Pâncreas, além de hérnias abdominais e inguinais. 

Como já comentei acima, esse estágio proporcionou muita vivência prática, aprendi procedimentos como Sondagem vesical de demora, passagem de sona nasogástrica, como retirar drenos de tórax, colher exames de sangue e mais. Outra prática legal foi poder acompanhar cirurgias e, de vez em quando, instrumentar – auxiliar na cirurgia passandos os instrumentos e materiais que os médicos pedem… Nessa a gente fica mais próximo da cirurgia e consegue visualizar melhor as estruturas, além de que eles tendem a nos mostrar coisas, ensinar algum detalhe de anatomia etc.

Minhas Impressões

O estágio foi bem cansativo, pois exigiu bastante em termos de carga horária, estudos e comprometimento! Eu gostei muito de tudo, dos aprendizados, desse primeiro contato com a vida real de médico que tive acompanhando os residentes e assistentes do serviço. Sinto que aprendi muita coisa, superei desafios – como o de dar plantão noturno e fazer procedimentos.

Para quem não viu, segue um dos vídeos de Diário de Internato do Vlog Mediários:

Espero que tenham gostado de saber um pouco mais da minha rotina, queridos!! É muito bom poder compartilhar com vocês 😀

Grande abraço!!

Assuntos do Artigo
  • rotina de um estudante de medicina

Comente Via FaceBook

Comentários




| Website

Sou estudante do 4º ano de Medicina na Faculdade de Medicina da USP, blogueira desde 2012 quando fazia Cursinho pré-vestibular. Há poucos meses comecei o Vlog Mediários no You tube.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.